6 soluções mundiais para combater a escassez de água

Dedetizadora

Tempo de leitura: 6 minutos

6 soluções mundiais para combater a escassez de água

6 soluções mundiais para combater a escassez de água

Atualmente, 400 regiões do mundo passam por condições de extrema escassez hídrica e quase 1 terço da população mundial vivem em países com essas condições. É assustador tal realidade e o Brasil infelizmente também possui regiões de escassez média como regiões do cerrado e nordeste. 

6 soluções mundiais para combater a escassez de água

É preciso haver iniciativas que mudem por completo essa situação e algumas boas ideias tem mudado a vida de milhares de pessoas ao redor do globo. Saiba quais são a 6 soluções mundiais para combater a escassez de água no planeta e como nós podemos ajudar também com pequenas mudanças de hábitos. 

Água Um bem nada durável

A água está se tornando o chamado ´´ouro líquido“, já que muitas partes do mundo não estão sendo sanadas por esse recurso tão obrigatório a humanidade e possivelmente nos próximos anos, essa situação poderá ficar ainda mais grave.

Água Um bem nada durável

Segundo dados da ONU, até 2025 mais de 2,7 bilhões de pessoas sofrerão com a falta de água e por conta dessa escassez, poderá haver guerras entre nações e conflitos civis para ter um pouco desse bem tão fundamental a vida.

O Brasil é um dos países com melhor abastecimento hídrico, com 12% de reservas de água doce do mundo. Apesar de tanta abundância, grande parte dos rios estão em situações de poluição extrema e pouco tem sido feito para a recuperação desses afluentes. 

Outro ponto é que 38% de toda água de abastecimento do país é perdida através de vazamentos e até ligações clandestinas, fraudes e má instalação hidráulica. Muitos países como Japão e o continente Europeu, encontraram formar de evitar a perda hídrica, já que esses lugares não possuem tantas reservas de água doce como o Brasil, mas servem de inspiração e exemplo para seguirmos em busca da conservação da água.

Austrália

Entre 1997 e 2009, a Austrália amargou um período longo de altas temperaturas e seca severa. Entre 2013 e 2014 novamente o país bateu recorde de temperatura em todas regiões.

Com isso, ficou notório que havia a necessidade de cuidados com a água para que as futuras gerações não sofressem tanto com a escassez de água. Investiram pesado em infraestrutura, por volta de 6 bilhões de reais e fizeram campanhas de conscientização da população em prol da economia da água.

Lá, eles aplicam o sistema de reuso da água, onde a água usada nas residências é tratada e volta para as casas e abastecendo uma torneira especial instalada em casa residência e usada para limpeza, lavagem de roupas, rega do jardim entre outras atividades.

Assim a água potável é economizada e usada apenas para beber e o banho. Outra iniciativa do governo australiano foi incentivar a população a manter a manutenção das tubulações para evitar vazamentos, diminuindo drasticamente a perca de água. 

Estados Unidos

Na região da Califórnia, a escassez hídrica era constante e por conta de uma população que nunca para de crescer, era necessário tomar medidas que solucionassem o problema da água.

Uma das medidas buscadas foi conscientizar os moradores a economizar água individualmente, aumentando o custo por litro e também as multas por uso indevido da água potável como lavar quintais e calçadas.

Outra medida é represar a água de reuso e fornecer para uso em descargas e irrigação de jardins e gramados. A mudança no paisagismo também foi importante, retirando plantas e vegetação com mais necessidade de água e substituindo por outras mais resistentes, além do aumento de campos de golfe.

Japão

Considerado uma ilha, o Japão é um pequeno país e demasiadamente populoso que sofre sempre com problemas de água desde a década de 50. Por conta de seus problemas com terremotos, o Japão possui leis e regras rígidas para população em relação a segurança, alimentação e água para evitar escassez de recursos básicos, em períodos de seca ou sísmicos. 

Por isso o país desenvolveu o chamado Manual Geral contra a seca com inúmeras medidas de como agir diante das épocas de estiagem e para economia de água, a tecnologia ajuda a ter vasos, torneiras e chuveiros inteligentes que evitam o desperdício e hoje o país tem uma perda hídrica de apenas 3%.

Israel

Árido desde seu início, Israel enfrenta a seca constantemente e para evitar o problema, regulamentou o uso da água e criou sistemas de economia eficientes que evitam a falta hídrica.

A tecnologia israelense também é reconhecida como eficaz, tanto que aparelhos potentes conseguem absorver água doce até de geadas nos períodos mais frios. O esgoto é quase 100% coletado e mais de 80% tratado e reutilizado na agricultura através da irrigação.

Outro ponto positivo da tecnologia israelense em busca da economia hídrica é que existem 5 centros de dessalinização do Mar Mediterrâneo que garante hoje 70% da água doméstica.   

Cingapura

Mesmo com uma grande população e situada em uma pequena ilha, Cingapura é hoje o país com 100% do esgoto tratado e reutilizado e possui medidas eficazes do uso da água potável, garantindo que as percas hídricas sejam baixíssimas. 

Como o país possui poucas reservas de água doce, é necessário importar água da Malásia, necessitando que a economia e o cuidado com o desperdício sejam ainda maiores para diminuir os custos desse serviço.

Caribe

Em Aruba, uma das ilhas mais famosas do Caribe, os recursos hídricos de água doce são praticamente inexistentes, sendo necessário o uso da água do mar para abastecer a ilha. 

A solução? A dessalinização, método eficaz que transforma a água do mar em água potável é utilizada a mais de 80 anos e atualmente uma moderna usina de alta tecnologia, produz mais de 45 milhões de litros de água por dia e a qualidade da água é tal que pode tomá-la das torneiras sem medo. 

Essas medidas são possíveis no Brasil? 

Algumas medidas como aumento da conta ou multas, além da conscientização da população são possíveis e necessárias para que haja preservação da água por mais tempo, porém combater os vazamentos, hoje um dos maiores causadores da perda hídrica, é vital para que o Brasil continue sendo um país com poder hídrico por várias gerações.

Saiba Mais

Consumo consciente: ministério adota novas medidas para economizar água

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *